CENTRAL NACIONAL DE VENDAS: 4020-3852 (disque a partir da sua cidade)
CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CONVENIADO: 4007-2851

Como falar sobre a morte com filhos adolescentes?

Abordar o tema da morte com um adolescente requer um preparo emocional por parte do adulto encarregado desta tarefa

de Amar Assist, 12 ABRIL de 2018

Como falar sobre a morte com filhos adolescentes?

A morte é um assunto difícil de se lidar para adultos, quanto mais para adolescentes, justamente na fase em que seus conceitos sobre vida e personalidade estão em desenvolvimento.

A maior certeza que temos na vida é que um dia todos nós iremos morrer. No entanto, abordar este assunto com filhos em idade de formação, não é tarefa fácil.

Com a intenção de poupar os filhos do sofrimento, muitos pais acabam não falando sobre o assunto ''morte'' com eles, o que acaba gerando um certo tabu nas crianças e adolescentes sobre a perda.

Transformar o assunto da morte em tabu não é o melhor caminho a ser percorrido, a melhor coisa a ser feita é encarar a morte com a maior naturalidade possível, afinal, é uma coisa natural e prevista, mas, como fazer isso?

Falar sobre a morte sem rodeios

A melhor maneira é ir direto ao ponto, sem rodeios.

Falar sobre a morte com filhos adolescentes é diferente do que falar sobre a morte com crianças, afinal, é nesta idade que estamos começando a conhecer mais sobre a vida e o futuro.

É a fase da paquera, lidar com o luto neste momento pode causar um grande transtorno a cabeça do adolescente, com isso, abordar o assunto requer também o mesmo cuidado.

É importante que o adulto responsável por dar a notícia para a criança esteja bem resolvido com a sua dor.

É claro, sabemos que isso não é fácil e somente o tempo é capaz de nos fazer superar uma grande perda.

Entretanto, é algo necessário, o adulto precisa estar pronto para dar o suporte ao adolescente e ajudá-lo a passar por esse luto.  

  • Aborde o assunto de uma forma tranquila e esteja pronto para ajudá-lo nos questionamentos que irão surgir.
  • Chorar e se entristecer não é problema, a questão é a forma como você demonstra isso, muitos adolescentes tendem a ficar mais tristes com a sua tristeza do que com o falecimento em si.

Plano Funerário Familiar

Cuide bem de quem você ama.


Local mais apropriado

Sim, existe um local mais apropriado para falar sobre isso, procure falar antes de dormir, no almoço ou jantar.

Quanto mais natural possível for a conversa, a mensagem será absorvida de modo que não cause tanta estranheza.

  • Demonstre seu interesse e disposição em relação aos sentimentos do seu filho.
  • Procure falar isso no momento de descontração, nunca sob o sentimento de tensão, tristeza ou cansaço.
Entenda e respeite o tempo de luto do seu filho

Diferente das crianças, o adolescente entende os fatos semelhante a um adulto, mas eles têm grande dificuldade para expressar o que sentem, com isso, se torna mais difícil superar a dor do luto.

Pré-adolescentes estão expostos as emoções de forma mais estável que um adulto, hoje eles podem estar tristes, amanhã em momento de grande euforia. Isso deve ser respeitado.

Incentive-o a expressar seus sentimentos

Expressar os sentimentos é uma forma de amenizar a dor da perda.

Enquanto as crianças manifestam seus sentimentos por meio de desenhos ou retrocedendo em alguma atividade que já havia aprendida, os adolescentes procuram esconder essa emoção, com isso, o diálogo se torna algo fundamental.

  • Mostre ao seu filho que está tudo bem, independe de como ele esteja: triste, alegre, eufórico, bravo ou com raiva.
  • Independente da forma como ele se expressar, você deve deixar claro que ele terá apoio e que está protegido.
  • Quanto menos paciência o adulto tiver em relação aos sentimentos do adolescente, mais ele esconderá de você o que está sentindo.
Sugestões

Existem grupos de apoio que ajudam as pessoas a superarem melhor a dor do luto.

Não hesite em procurar ajuda médica se ver que é necessário.

Entre esses grupos destacamos: Grupo Casulo, Vita Alere (especializado em luto causado por suicídio) e o Vamos Falar Sobre o Luto?

 


Artigos Relacionados