CENTRAL NACIONAL DE VENDAS: 4020-3852 (disque a partir da sua cidade)
CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CONVENIADO: 0800 024 1150

7 dicas para conseguir juntar uma boa reserva de emergência

Como construir uma reserva de emergência? Saiba Mais!

de Amar Assist , 29 OUTUBRO de 2020

Uma mulher, está colocando uma moeda em um cofrinho de porquinho de porcelana branco.
Juntar dinheiro ganhando pouco é uma das grandes dificuldades do brasileiro, afinal, muitas vezes, os gastos do dia a dia são quase equivalentes ao valor do salário recebido. De que forma seria, portanto, possível poupar para formar uma boa reserva de emergência?


Plano Funerário Familiar

Cuide bem de quem você ama.


Ter esse fundo para lidar com eventuais problemas é fundamental, pois, assim, você pode evitar estresses e angústias quando questões que estão fora do seu controle surgirem (por exemplo, o tratamento de doenças graves, como o câncer). 

Então, com as 7 dicas que traremos a seguir, será possível ter melhores resultados e conseguir juntar dinheiro para um bom fundo de emergência. Boa leitura!

1. Determine o seu objetivo

O primeiro ponto para começar a construir sua reserva de emergência é definir uma meta clara. Afinal, nós percorremos melhor o caminho quando sabemos aonde queremos chegar, encontrando a melhor forma de alcançar tal objetivo.

Por exemplo, ao estabelecer uma determinada quantia a ser alcançada, é mais fácil pensar em quais estratégias podem ser traçadas para chegar até ela: poupar X por mês, utilizar um determinado valor de uma bonificação (como 13º salário, abonos e adicional de férias) para esse fim, entre outras formas.

2. Faça as contas

Após definir uma meta, é hora de encontrar as melhores estratégias para alcançar o valor da reserva. Nesse momento, é importante que você se sente e faça as contas: o quanto é possível despender para conseguir alcançar a sua meta?

Afinal, para compor o seu fundo de emergência, não se deve gerar desconfortos, problemas de economia, apertos, entre outras situações que comprometam o seu orçamento. Em outras palavras, o seu fundo não pode gerar uma eventual emergência.

Por isso, faça as contas: o quanto é possível investir, por mês, para compor esse fundo? Caso você ache que o valor ainda é pouco, quais outras despesas excessivas podem ser minimizadas? Com isso, você conseguirá ter uma noção realista das suas finanças atuais e verificará de que forma é possível alcançar o valor desejado no tempo esperado.

3. Reduza as despesas em excesso

Outro ponto importante é conseguir reduzir as despesas em excesso. Com isso, você consegue minimizar gastos supérfluos e agilizar a composição do seu fundo de emergência. Por exemplo, se a sua meta é juntar R$ 5.000, isso ocorrerá mais rapidamente se você puder juntar R$ 100 por mês do que R$ 50.

E pequenas mudanças diárias podem ajudar a reduzir essas despesas excessivas e alcançar essa "sobra" que será investida no fundo de emergência. Algumas delas são:

  • tenha um controle dos seus padrões de gastos. Por exemplo, a maior parte dos seus gastos supérfluos são com delivery? É possível, assim, avaliar mudanças de comportamento que possam ajudar a economizar, como cozinhar mais em casa;
  • analise quais são suas despesas obrigatórias e as formas de diminuí-las. Por exemplo, tente economizar na conta de luz e tenha planos mais econômicos de internet e telefone;
  • liste o que, de fato, é prioridade e o que pode ser adquirido em um outro momento, após atingir o seu objetivo, por exemplo.

4. Mude hábitos

Muitas vezes, nós nem percebemos o quanto nossos hábitos podem impactar nossas finanças. Por exemplo, optar por transporte por aplicativo em curtas distâncias pode significar um gasto pequenos, mas, no final do mês, a soma de todas as corridas resultarão em um valor considerável do seu orçamento.

Imagine, por exemplo, que você, ao retornar do trabalho, sempre utiliza um veículo de transporte por aplicativo e paga R$ 10 por corrida, o que representa um valor relativamente baixo. Porém, ao longo de 20 dias úteis de trabalho, você terá gasto R$ 200, uma quantia que poderia entrar na composição do seu fundo de emergência se você optasse por realizar o percurso a pé, por exemplo.

Por isso, é fundamental analisar quais são os hábitos da sua rotina que podem prejudicar a forma como você gasta e poupa dinheiro.

5. Busque formas de aumentar a renda

Se há urgência na formação do seu fundo de emergência, é importante buscar formas de aumentar a sua renda por meio de algumas atividades extras. Por exemplo, uma opção interessante é fazer marmitas fit e/ou bolo no pote para comercializar no trabalho ou em outros espaços que você frequenta.

De fato, você precisará gastar algumas horas a mais do seu expediente normal, mas conseguirá fazer uma renda extra para acrescentar ao seu fundo. Interessante, não é mesmo? Para isso, é importante analisar quais são as atividades mais confortáveis para você, unindo o útil ao agradável.

Por exemplo, se você não tem talento para cozinhar, mas tem uma maior facilidade com artesanato, é possível investir em formas de vender peças diretamente pelas redes sociais. As possibilidades são diversas.

6. Invista o valor da reserva financeira

Para alcançar o objetivo proposto mais rapidamente, uma outra solução é investir o valor da reserva financeira em fundos com bom rendimento. Porém, para isso, é importante você escolher um fundo que permita liquidez diária. Afinal, se estamos falando em fundo de emergência, em caso de um eventual problema, é fundamental você ter acesso à quantia de forma imediata.

Ou, ainda, uma outra opção é optar por uma carteira mista. Ou seja, você poderá deixar parte do valor em um fundo de liquidez diária, que renderá menos, mas terá uma maior segurança, enquanto a outra parte da quantia pode ser investida em outro fundo, com maior rentabilidade, mas de longo prazo. Assim, gera-se uma carteira mais equilibrada, de rápido acesso em caso de emergência e com um maior retorno para alcançar o seu objetivo.

7. Utilize aplicativos de controle financeiro

Para analisar se o seu controle está sendo feito de forma efetiva, é importante verificar os seus gastos mensalmente. Assim, caso tenha cometido um deslize, isso ficará claro nos gráficos do seu aplicativo, e você poderá verificar de que forma é possível contornar essa queda e garantir uma maior sobra para seu fundo de emergência.

Essa ferramenta é muito útil e permite encontrar formas de controle do seu orçamento que você nem imagina. Muito bom, não é?

Por fim, é indicado que sua reserva de emergência cubra e mantenha o seu padrão de vida durante um período de 6 meses. Assim, em caso de problemas, você terá um tempo para se recompor e retomar as atividades. Da mesma forma, isso permite que você utilize o valor em caso de uma enfermidade grave que exige um tratamento custoso, por exemplo.

A reserva de emergência é, assim, uma forma de proteção para você e sua família e, portanto, não deve ser deixada de lado. Aplique as dicas que listamos e, com certeza, você conseguirá melhores resultados.

Como falamos, o planejamento financeiro familiar é de grande importância, mas esse é um tema que não é de domínio de muitas pessoas. Quer aprender mais sobre isso de forma bem prática? Leia nosso artigo sobre planejamento financeiro familiar!