• área do cliente
  • Seguro de Vida Gratuito!

    saiba mais!

    7 partes da Bíblia que falam sobre a morte

    O que acontece depois da morte e a ressurreição, segundo a Bíblia

    7 partes da Bíblia que falam sobre a morte

    Em momentos difíceis, como o falecimento de alguma pessoa querida, é comum que tenhamos dificuldades em lidar com os sentimentos e as emoções. Mas é possível encontrar conforto e enxergar uma forma de compreender o que aconteceu com o auxílio de uma parte da Bíblia que fala sobre a morte.

    Conseguir se confortar e fortalecer as outras pessoas próximas pode ser um desafio quando não temos onde depositar a nossa fé. E é por isso que a espiritualidade e a religião são extremamente necessárias durante o luto, tendo em vista que fornecem uma alternativa ao simples acaso como motivo da partida de quem amamos. É justamente nas palavras milenares da Bíblia que podemos encontrar auxílio, já que em muitos livros e versículos do livro sagrado do Cristianismo, a morte é citada.

    Neste texto apresentaremos algumas das citações mais importantes, cujos significados são mais impactantes na visão cristã da passagem deste para o outro mundo. Continue a leitura e encontre inspirações para responder às diversas perguntas sobre a morte! 

    O que acontece depois da morte? 

    Um dos motivos de a dor da separação ser tão intensa é que não sabemos o que acontece com as pessoas que tanto amamos nem se as encontraremos novamente um dia. Logo, compreender o processo da morte pode nos ajudar a sentir consolo e paz. Ainda que soframos com a morte de um familiar querido, há esperança! A morte não é o fim. 

    Pessoas que já passaram pela experiência de quase morte, relatam os seguintes sintomas: 

    1. •    Impressão de estar fora do corpo
    2. •    Existência de uma luz branca e um túnel
    3. •    Sensação de leveza
    4. •    Reencontro com parentes falecidos

    Ainda que seja recorrente esse tipo de situação, a ciência não acredita na vida após a morte. Os médicos apontam que essas sensações acontecem por falta de oxigenação no cérebro. E esse quadro causa alucinações visuais e sensoriais. Eles também explicam que, nos últimos minutos de vida, os neurônios perdem a capacidade de reter carga elétrica. Consequentemente, há uma sequência anormal capaz de gerar alucinações. 

    Porém, vale ressaltar que a crença na imortalidade é algo que existe desde os primórdios. Desde as pirâmides egípcias, a população de todos os tempos e lugares acreditam que o ser humano sobrevive à morte.

    O destino do homem e o significado da vida

    Seria impossível pensar que a vida é boa e justa se achássemos que não existe nada depois da morte. Como poderíamos lidar com os problemas de desigualdade e injustiça? Quando observamos o mundo, notamos que algumas pessoas nasceram para ser felizes e outras para sofrer. Apenas a vida além da sepultura faz com que tenhamos força e resistência para encaramos todos os obstáculos. Se tivéssemos a certeza de que a vida acaba no momento da morte, praguejaríamos o dia do nosso nascimento. Afinal, qual seria o sentido da vida? Apenas viver uma vida de sofrimento para não receber nenhuma recompensa depois? 

    Portanto, seríamos obrigados a concordar com o rei Salomão que, num momento difícil de sua vida, disse “Vi ainda todas as opressões que se fazem debaixo do sol: vi as lágrimas dos que foram oprimidos, sem que ninguém os consolasse; vi a violência na mão dos opressores, sem que ninguém consolasse os oprimidos. Pelo que tenho por mais felizes os que já morreram, mais do que os que ainda vivem; porém mais que uns e outros tenho por feliz aquele que ainda não nasceu e não viu as más obras que se fazem debaixo do sol”. (Eclesiastes 4:1-3). 

    A verdade é que há beleza e equilíbrio em tudo. Para os momentos de horror e violência, há os momentos de harmonia e paz. Cada pôr do sol nos diz “isto também passará”. 

    7 partes da Bíblia que falam sobre a morte
     

    1. Livro de Coríntios, capítulo 15

    Nesse capítulo, o apóstolo Paulo escreve para fiéis que têm contestado a possibilidade de ressurreição dos mortos. Ele diz que se não é verdade que é possível que os mortos ressuscitem, então, também não pode ser verdade que Jesus ressuscitou, o que faz com que eles sejam testemunhas contrárias à disciplina da fé que pregam.

    A seguir, ele deixa claro que a ressurreição reservada aos homens não é a mesma que foi concedida a Jesus, mas um renascimento em uma matéria celestial, compatível com os elementos de que é composto o reino dos céus.

    2. Tessalonicenses, primeiro livro, capítulo 4

    Nessa passagem, mais uma vez, quem se manifesta é o apóstolo Paulo, que se dirige ao povo tessalonicense. Ele reconhece a dedicação e o esforço deles para viverem conforme os desígnios de Deus e insiste para que eles permaneçam assim e sigam nesse caminho. 

    Ele recomenda que aquelas pessoas tenham um modo de vida tranquilo e que aguardem a volta de Jesus. Em seguida, ele afirma que com o retorno do filho de Deus, os mortos serão ressuscitados e levados aos céus em companhia dos vivos, que serão arrebatados.

    3. Livro de João, capítulo 5

    Em outro trecho, é possível encontrar uma descrição sobre quem será ressuscitado. Nessa parte da Bíblia que fala sobre a morte, conta-se que Jesus visitou um lugar onde havia muitas pessoas doentes e que ele curou um tetraplégico. Por ter feito isso em um sábado, dia de repouso judaico, ele passou a ser perseguido. 

    Ao ser interpelado pelos judeus, Jesus disse que ele continha o poder de ressuscitar os mortos e que estava chegando o momento em que os mortos ouviriam o chamado dele e sairiam de suas tumbas para serem julgados e para viverem, injustos e justos sucessivamente.

    4. Livro de Lucas, capítulo 20

    Nessa passagem, Lucas narra que Jesus estava pregando e que alguns sacerdotes se aproximaram e começaram a confrontá-lo sobre a autoridade que ele tinha para que pudesse falar em nome de Deus. Ele, então, passou a respondê-los com muita astúcia e os deixou sem palavras. 

    Sendo perguntado sobre como seria a vida após a morte, especificamente sobre se haveria casamento e quais leis seriam seguidas, ele explica que após a morte não nos casamos mais e não vivemos mais como antes, que então somos como anjos, como filhos de Deus.

    5. Apocalipse, capítulo 21

    O livro do Apocalipse é aquele que narra o que acontece no fim dos tempos, durante e após o juízo final. Nele encontram-se descrições de como acontecerá esse julgamento e quais serão as consequências para todos, vivos e mortos, justos e ímpios. 

    Nessa parte da Bíblia, faz-se referência a uma segunda morte, essa, sim, definitiva e para onde serão enviadas aquelas pessoas consideradas ímpias. Elas são os covardes, os incrédulos, os depravados, os assassinos, os que praticaram feitiçarias, os idólatras e os mentirosos. Essas pessoas não serão ressuscitadas para viverem novamente.

    6. Livro de João, capítulo 14

    Mais uma vez citando João, é descrita uma pregação de Jesus para alguns de seus discípulos. Eles perguntam a Jesus sobre a imagem do Deus Pai e sobre a possibilidade de vê-lo e encontrá-lo. Jesus então afirma que nele se encontra o Pai. 

    Ele diz que na casa do senhor Deus existem muitos aposentos, assegurando a todos que haverá acomodações para todos que lá chegarem. Assim, ele tranquiliza aquelas pessoas, que poderiam questionar se o céu ficaria lotado ou se todos os merecedores poderiam ali ser recebidos, e assim é descrita parte da vida após a morte.

    7. Livro de Isaías, capítulo 65

    E a descrição de como é a vida após a morte acontece na parte da Bíblia destinada a Isaías. Nesse capítulo, ele narra como será o modo de vida e as atividades que serão feitas pelas pessoas após a sua morte, quando aceitas no céu. 

    Deus diz ao seu povo que a vida será cheia de alegria, que construirão casas para si e que nelas viverão, que não morrerá uma criança mais e que os velhos viverão bem os seus anos. Que eles comerão aquilo que plantarem e que não mais trabalharão em vão.

    Vida após a morte – Juízo final

    Segundo o Catolicismo, após a morte, seguimos para o céu, inferno ou purgatório. As nossas atitudes em vida determinam para qual local iremos. Se o perdão para os pecados for concedido, iremos para o céu, onde estaremos em comunhão com Deus e com os nossos familiares que também conquistaram o céu.

    Nesse local, não há dores, doenças e imperfeições. Caso contrário, seremos condenados e enviados para o inferno. No entanto, há uma segunda chance! No juízo final, algumas almas terão a chance de se purificarem. 

    Como será o julgamento divino?

    Durante a ressurreição, todos nós seremos julgados por Jesus. Esse julgamento final será feito com base em nossos desejos e escolhas. Visto que só Deus e Jesus conhecem perfeitamente nosso coração e nossa vida, somente Eles podem nos julgar com perfeição. É importante destacar que esse julgamento será feito com muita misericórdia e amor (ver Apocalipse 21:4). Pois o propósito de Deus é auxiliar todos os Seus filhos a voltarem a viver com Ele no reino celestial. 

    O reino dos céus é dos que choram e dos pobres 

    Em momento algum, a Bíblia diz que o céu pertence aos intelectuais e erudito ou aos ricos e poderosos. A Bíblia afirma que o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes às crianças (Mt 19.14). E, quando estudamos o Sermão do Monte, observamos que o reino dos céus é dos que choram, dos pobres em espírito, dos humildes e dos perseguidos por causa da justiça. Ou seja, o reino dos céus pertence aos fracos e desvalidos deste mundo.

    Como é o céu?

    Ao lermos a primeira carta aos Coríntios 2:9, encontramos a seguinte informação: “As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” Isto é, ainda não somos capazes de compreender a beleza e a alegria do céu. 

    Haverá paz e união até no reino animal?

    Sim! Em Isaías 65:25, encontramos a seguinte frase: “O lobo e o cordeiro juntos se apascentarão, o leão comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o Senhor”. 

    Os deficientes serão curados?

    Sim! De acordo com a Bíblia, em Isaías 35:5-6, “Então, os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se desimpedirão. Então, o coxo saltará como o cervo, e a língua do mudo cantará de alegria.” 

    Como aprender a lidar com a morte?​​​​​​​

    A Bíblia é um livro muito antigo, cujo significado vem sendo interpretado há milênios. Não há dúvidas, entretanto, de que as palavras ali escritas são portadoras de grandes verdades e dão resposta a muitas das maiores dores e questionamentos do homem.

    Em alguma parte da Bíblia que fala sobre a morte você poderá, certamente, achar significados e esperanças de tempos melhores em situações de sofrimento e de desespero. Esses trechos são apenas uma pequena parte do que ela contém, mas já podem dar a você uma boa ideia do que procurar.

    Caso recentemente você tenha perdido um ente querido e deseje encontrar um pouco de consolo, assista ao vídeo abaixo do padre Fábio de Melo.  

    ​​​​​​​

    ​​​​​​​Se você gostou do nosso conteúdo, compartilhe-o com os seus amigos e familiares em suas redes sociais e marque as pessoas que você acha que poderão encontrar alguma iluminação nessas ou em outra parte da Bíblia que fala sobre a morte. Assim, você poderá ajudá-los e ainda estará disseminando palavras capazes de curar e acolher.  


    Você deseja conhecer nossos planos? Preencha o formulário abaixo!
    Saiba mais sobre o Seguro de Vida Gratuito