EM CASO DE ÓBITO: 4020-2358 (disque a partir da sua cidade)
CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CONVENIADO: 0800 024 1150
Empresa Amiga do Idoso!
Ao enviar os seus dados para saber mais sobre o nosso Plano Funerário Familiar, automaticamente, você faz uma doação para o Instituto Velho Amigo.

Adotar um pet faz bem para a saúde mental

Pandemia dobrou número de quadros de ansiedade e depressão. Porém, pesquisas recentes afirmam que animais podem aliviar esses sintomas

Adotar um pet faz bem para a saúde mental

Nós, seres humanos, vivenciamos uma relação de afeto, fidelidade, alegria, companheirismo e muito amor com os nossos pets. Durante a pandemia, esse laço de amizade e amor com eles foi um tanto quanto estreito. Nesse mesmo período, diversas pesquisas foram realizadas com o objetivo de mensurar a quantidade de famílias que possuem a companhia de um pet em seu lar e quais adaptações na rotina dos pets foram necessárias por conta da pandemia.

Com a disseminação do vírus COVID-19, os animais passaram a ficar mais tempo com seus donos, sobretudo, muitos cães sofreram consequências, como o estresse, por conta da diminuição da carga horária de passeios e lazeres. Como a população está evitando ir aos parques e áreas externas, os animais também enfrentam os desafios do isolamento.

1. Personalidades de cães e gatos

No geral, os gatos possuem a sua própria liberdade, ao contrário dos cães. Sendo assim, esses felinos se adaptam melhor ao isolamento social, pois, como eles são mais ágeis, conseguem passear da mesma forma, ou, como alguns dizem, “fugir” com mais facilidade do que os cães.

Sendo assim, é indicado que as pessoas protejam seus lares. Devido aos pets almejarem por sua liberdade, eles buscam diversas formas para que consigam escapulir. Logo, é necessário colocar redes de proteção, grades, portões e o que mais for necessário, para evitar que eles fujam, e, com isso, visar uma possível necessidade do seu dono ter que sair e se expor ao vírus para procurá-lo. 

Além de todo amor, carinho e proteção que damos aos nossos bichinhos, eles também precisam de certos cuidados, tais como, consulta veterinária, ração, remédios antipulgas, entre outros. Essas ações nos cobram certa responsabilidade, afinal, nossos pets acabam se tornando ‘’dependentes’’ dos nossos cuidados. 

Falar sobre plano funerário ainda é um tabu, porém, imprevistos acontecem. Saiba como se planejar financeiramente!

2. Os cães ajudam no tratamento para depressão? 

Pesquisas, como por exemplo, o trabalho elaborado por psiquiatras da Clínica Médico-Psiquiátrica da Ordem, na cidade do Porto, em Portugal, e divulgado na revista científica Journal of Psychiatric Research, apontam que os casos de depressão, ansiedade e estresse se multiplicaram ao decorrer da pandemia. A pandemia por si só já afeta psicologicamente muitas pessoas, principalmente aquelas que já são portadoras de algum tipo de transtorno psiquiátrico.

Segundo esse estudo, o convívio com nossos animaizinhos é capaz de aliviar e até mesmo combater todos os sintomas causados por ansiedade e depressão. Em muitos casos, a terapia é algo imprescindível. Porém, o amor que damos e recebemos de nossos bichinhos facilita muito todo o nosso processo de cura, não é mesmo?

Demonstração de carinho não ameniza apenas os sintomas de estresse dos pets, mas os nossos também. Os pets são sencientes, estão sentindo tudo que nós humanos sentimos, como alegria, felicidade, inveja, raiva, tristeza, entre outros sentimentos. Então, é importante criar um momento de interação para que eles não adoeçam, a diversão é válida não somente para nós humanos, mas para eles também, que são parceiros da diversão.

Por isso, muitas pessoas, que têm pets em seu lar, são apegadas fisicamente e emocionalmente a eles, e, em muitos casos, os pets são considerados um membro da família, logo, para nós é gratificante nos distrairmos com eles.

Parece até irônico falar, mas muitas pessoas conversam com seus bichinhos porque encontram alívio. Muitos afirmam que não sentem o peso da solidão devido ao amor que recebem dos pets. Nesse momento de pandemia, existe algo mais fundamental do que isso?

Diversas pessoas estão trabalhando remotamente e grande parte mora sozinha. Consequentemente, ter um pet em casa faz toda a diferença, espanta a solidão e ainda enche o lar de amor. Vale ressaltar de que não há indícios de que cães, gatos e os animais de estimação, no geral, sejam transmissores do coronavirus.

3. Aumento de adoção na pandemia

Podemos pesquisar e observar que houve um aumento de procura por ONGs para adoção de animais de estimação durante a pandemia, pois, como dito anteriormente, há comprovações cientificas de que os pets trazem benefício ao bem-estar mental. Os pet shops também têm ganhado um grande lugar no mercado de trabalho, pois as pessoas são amorosas com seus pets e querem o melhor cuidado e carinho para eles. 

A higiene tornou-se ainda mais fundamental, sendo assim, não devemos usar produtos agressivos, o recomendado é utilizarmos apenas água e sabão. Sempre lavarmos bem as mãos quando formos iniciar a brincadeira com eles. Depois de brincar, evitarmos beijos, lambidas, entre outras brincadeiras nas quais o contato com eles seja mais profundo, afinal, quanto mais segurança, melhor. 

4. Lives para tutores

Alguns médicos veterinários estão fazendo lives que abordam cuidados com os animais de estimações no período de quarentena, visando o bem estar deles. É necessário que o dono busque sempre o melhor para seus pets, pois eles são completamente dependentes de nós. Todavia, isso faz com que eles despertem os nossos melhores impulsos de humanidade.


Você deseja conhecer nossos planos? Preencha o formulário abaixo!