CENTRAL NACIONAL DE VENDAS: 4020-3852 (disque a partir da sua cidade)
CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CONVENIADO: 0800 024 1150

Quanto custa cremação?

A cremação no Brasil tem custo variável, podendo custar até R$20 mil.

de Amar Assist , 9 JANEIRO de 2019

Muitos são os mitos e as dúvidas que envolvem o processo de cremação. Entre eles, a principal pergunta é se é mais barato cremar ou enterrar.


Plano Funerário Familiar

Cuide bem de quem você ama.


Esses questionamentos acontecem porque, à primeira vista, considerando apenas uma resposta simples, a cremação pode apresentar um valor mais elevado, mas é preciso somar todos os custos envolvidos em um processo de falecimento — que vão desde o velório e o sepultamento em si, até as taxas do cemitério e da exumação, alguns anos depois.

Além das dúvidas, como dissemos, existem algumas curiosidades e mitos acerca da cremação que precisam ser desvendados, afinal, essa é uma opção interessante por diversos motivos, que também vamos abordar neste texto.

Acompanhe a leitura para saber mais sobre a cremação e comparar os dois procedimentos.

A diferença de custos entre a cremação e o sepultamento

Como dissemos, os valores da cremação podem surpreender em um primeiro momento, mas, geralmente, isso acontece quando a pessoa nunca foi diretamente responsável pelo sepultamento de um ente querido antes.

Isso porque, ao lidarmos com os processos que envolvem o falecimento, nos deparamos com muito mais gastos do que esperamos nesse momento. Para esclarecer, fizemos um pequeno comparativo, acompanhe.

Normalmente, quando o serviço de cremação é contratado, as homenagens já estão incluídas — o que seria equivalente ao aluguel da sala de velório e os próprios adereços, como suporte de caixão e de velas, por exemplo, que têm custos.

Após a cremação, a família recebe a urna com as cinzas. A urna é paga, mas não existem mais gastos depois disso. Já no sepultamento, é preciso arcar com o jazigo (caso a família não tenha um jazigo perpétuo), e as taxas de administração e manutenção do cemitério.

Além disso, após um prazo de cerca de três anos, é preciso fazer a exumação do corpo, transferindo os restos mortais para uma caixa menor ou outro lugar — um procedimento que também precisa ser pago.

Os valores médios da cremação

A cremação no Brasil tem custo variável, podendo alcançar valores entre R$ 2.500,00 e R$ 6.500,00 apenas o processo da cremação — e alcançando as cifras de R$ 20.000,00, se forem consideradas as despesas relacionadas, como o serviço funerário, caixão, velório e o translado até a cidade onde existe o forno.

Em São Paulo, o número de cremações dobrou desde janeiro de 2008, enquanto houve menos sepultamentos. Vale lembrar que o jazigo mais barato, com três gavetas, em Guarulhos, tem o custo médio de R$ 4,5 mil, e a cremação, de R$ 2.150,00 (ou seja, menos da metade).

Na região de Curitiba, por exemplo, três empresas prestam o serviço particular de cremação, nos municípios de Pinhais, Campina Grande do Sul e Campo Largo.

Em média, o procedimento custa R$ 2,5 mil, podendo variar de acordo com os itens escolhidos para a cerimônia, e está disponível em planos de cremação preventiva, que minimizam a burocracia, ou em pronto atendimento, contrato para uso imediato.

É preciso lembrar que o processo de cremação somente pode ser realizado se houver o documento (declaração) registrado no cartório com declarada vontade do falecido de ser cremado.

Para saber mais informações, entre em contato, inicialmente, com um crematório da sua cidade ou estado. E, ao escolher o local, considere que cada crematório tem uma estrutura diferente, com opções e ambientes diferentes.

O processo de cremação

Você sabe, realmente, como acontece a cremação? Em poucas palavras, podemos afirmar que se trata de uma homenagem muito bonita e emocionante — nada parecido com as ideias fúnebres que circulam no imaginário popular.

As pessoas ali presentes na sala ficam sentadas, geralmente, ao redor do espaço destinado ao caixão — que pode já estar lá ou subir durante a cerimônia, como uma representação da elevação da alma aos céus.

Dependendo do crematório, vários tipos de homenagens são permitidas, como músicas, vídeos e, até mesmo, a transmissão ao vivo pela internet para as pessoas não presentes. Vale a pena questionar ao crematório quais são as suas possibilidades.

Ao final da cerimônia, o caixão desce para a parte inferior da sala e as pessoas podem ir embora. Ou seja: não existe corpo sendo queimando ou fumaça em nenhum momento. A urna com as cinzas é entregue dias depois aos familiares.

Países em que a cremação é mais comum

A cremação é um ritual milenar, praticada por muitos povos de diferentes culturas há bastante tempo. Os gregos e os romanos antigos utilizavam a cremação em funerais de grandes guerreiros e pessoas nobres. Os vikings também eram adeptos da prática, cremando os corpos e jogando-os ao mar.

Hoje em dia, os países em que a cremação é mais comum são o Japão e a Inglaterra.

A aceitação nas religiões

Enquanto o budismo e o hinduísmo têm a cremação como o processo oficial do momento do falecimento, a cremação foi vista como um ritual pagão por muito tempo. A igreja católica, por exemplo, apenas passou a aceitar a prática em 1964 — e ainda há muitos tabus sobre o assunto.

Quantidade de processos de cremação por vez

Somente um corpo é cremado por vez, o que garante que as cinzas entregues aos familiares são mesmo do seu ente querido. Quanto ao processo, em si, ele dura cerca de três horas, dependendo de algumas variáveis, como a temperatura da câmara, o tipo de caixão e o peso da pessoa.

A importância de contar com o plano funerário certo

Como você pôde perceber até aqui, é importante saber se é mais barato cremar ou enterrar, mas, na verdade, os dois processos geram custos que não são baixos — especialmente porque, na maioria dos casos, o falecimento acontece de forma inesperada, surpreendendo os familiares com uma despesa que ultrapassa o valor de um mês de salário da grande parte dos brasileiros, fora as questões emocionais, é claro.

A questão financeira, portanto, é um dos fatores que devem ser levados em consideração para contratar um Plano Funerário Familiar. Com uma pequena quantia paga mensalmente, é possível estar resguardado para esse momento familiar tão difícil. Vale lembrar que o plano cobre tanto o processo de cremação quanto o de sepultamento, podendo atender ao desejo do ente falecido e da família sem custos adicionais.

Além da vantagem de não ser necessário desembolsar uma grande quantia de repente, é fundamental considerar o momento de fragilidade e tristeza em que a família se encontra. Apesar disso, existem muitos fatores que devem ser decididos em poucas horas, como o próprio tipo de sepultamento, o transporte e muitas outras burocracias.

Nesse momento, o Plano Funerário Familiar da Amar Assist também faz toda a diferença: basta um telefonema para a nossa equipe para que você encontre todo o apoio que precisa — tanto psicologicamente quanto em relação a esses processos.

Afinal, profissionais experientes vão saber o que fazer e como orientá-lo da melhor forma, a fim de que tudo ocorra da maneira mais tranquila possível, e você e seus familiares possam se dedicar ao que realmente é fundamental nesse momento: as homenagens e despedidas ao seu ente querido.

O Plano Funerário Familiar da Amar Assist é feito para cuidar bem de quem você ama, e cobre, além do funeral completo, indenizações, assistências residencial e PET sem nenhum custo adicional.

Agora você já sabe se é mais barato cremar ou enterrar, as principais diferenças entre os dois procedimentos e a importância de viver com planejamento e serenidade.

Então, entre em contato com a equipe da Amar Assist e saiba mais sobre os nossos planos e serviços.


Artigos Relacionados