EM CASO DE ÓBITO: 4020-2358 (disque a partir da sua cidade)
CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CONVENIADO: 0800 024 1150
Empresa Amiga do Idoso!
Ao enviar os seus dados para saber mais sobre o nosso Plano Funerário Familiar, automaticamente, você faz uma doação para o Instituto Velho Amigo.

7 dicas para lidar com alguém que acabou de perder um ente querido

Confortar alguém querido que acabou de sofrer um perda, é um ato de carinho, empatia e generosidade.

Alguém que acabou de perder um ente querido

Quando se perde alguém, várias situações e receios são vividos pelos familiares. Muitos desses, provavelmente, entrarão em um processo de luto e cada um terá a sua maneira de superar essa fase. O importante é não evitar o luto e sim vivenciá-lo, pois é algo natural e importante de ser trabalhado. Cada pessoa passa pelo luto de forma diferente e felizmente existem várias maneiras de apoiar alguém nesse momento. 

Lidar com alguém que acabou de perder um ente querido não é um trabalho fácil, afinal, como saber exatamente o que fazer e dizer num momento de dor? Como externar o seu apoio de uma forma que a pessoa se sinta confortável e segura em poder contar com você? 

Pensando nisso, trouxemos este conteúdo. Aqui você conhecerá mais sobre o luto, seus significados e consequências quando não vivido adequadamente. Depois, confira as dicas que deixamos para que você saiba como lidar com alguém que acabou de perder um ente querido. Acompanhe!

Compreenda o luto

Quando o falecido é um companheiro ou um filho, é típico ouvir “você logo encontrará outra pessoa” ou “você terá um novo filho”, porém frases desse tipo são muito rudes, afinal, a pessoa acabou de perder alguém muito querido e, por mais que isso aconteça futuramente, cada pessoa é insubstituível. Portanto, deixe que esse momento seja vivido, mesmo que intensamente, pois assim, ele cessará de forma mais natural brevemente. Respeite esse período.

Para lidar de uma forma mais consciente com esse momento, é importante conhecer as cinco fases do luto: negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. Elas não são lineares, varia muito entre as diferentes pessoas e diferentes experiências vividas.

Superar a dor do luto pode ser difícil, mas quando o compreendemos, passamos a observar os nossos sentimentos e os sentimentos de nossos familiares com mais humanidade, pois todas essas etapas fazem parte do processo de enlutamento e o importante é não se desesperar e compreender que tudo é necessário, mesmo a tristeza, pois a cada fase aprendemos mais e mais com nossos sentimentos.

Falar sobre plano funerário ainda é um tabu, porém, imprevistos acontecem. Saiba como se planejar financeiramente!

As consequências de não aceitar o luto

O luto precisa ser compreendido como algo natural e necessário de ser vivido. Muitas vezes, nós percebemos a tristeza como algo negativo, mas, nesse caso, ela não pode ser evitada ou encoberta, caso contrário, a pessoa poderá passar por situações as quais vão travar a sua vida. Veja abaixo mais informações sobre o luto e quais as consequências de não aceitá-lo.

Corre-se o risco de não superar 

O luto é uma reação que temos ao perder alguém importante e ele não se aplica apenas à morte. Muitos psicólogos, por exemplo, afirmam que términos de relacionamentos ou finalização de uma carreira também são fases de luto.

O luto é um momento de reformulação, elaboração do sentimento e retorno à vida. Se a pessoa perde algo ou alguém importante e não se deixa passar por esse momento, provavelmente, correrá o risco de não superar a situação. Por consequência, muitos de seus temores podem ficar recalcados e, a qualquer momento, interferirão em decisões, estratégias, planejamentos e novos relacionamentos.

Você não permite se reconstruir

Reconstruir-se, aceitar, continuar sua vida, retomar sonhos e desejos. Esses são pontos fundamentais para dar sentido à vida, mesmo com a falta de um ente muito querido. Quando o luto não é vivido, a pessoa se estagna e, provavelmente, ficará conectada a uma das fases do luto, as mais comuns, nesse caso, são a de raiva ou negação. 

Geralmente, o trabalho excessivo aparece como uma desculpa para não viver o luto, pois é uma função a qual ocupa tempo e mente. Dessa forma, o indivíduo chega em casa exausto e pode dormir devido ao cansaço extremo ou, caso contrário, perde o sono e começa a sofrer com insônia por conta dos pensamentos de negação, raiva ou injustiça.

Por isso, o luto é necessário para o processo de reconstrução. É preciso pensar e viver a tristeza para buscar novos significados para a continuação da própria vida.

Diversos âmbitos da vida podem ser prejudicados

Você já ouviu falar em traumas? Na maioria das vezes, eles são marcas de acontecimentos negativos que influenciam nossas decisões e nossas ações. Quando o luto não é vivido, a morte do ente querido pode ficar como um trauma em nossa mente. Assim, todas as vezes que vivenciamos algo semelhante, podemos ter uma reação de pânico, fazer o máximo possível para buscar distância, ou seja, nossas atitudes serão regidas por algo que já não está mais entre nós.

Com isso, muitas experiências em nossa vida acabam sendo cerceadas e diversos âmbitos podem ser prejudicados: os relacionamentos afetivos podem ser bloqueados, a vida financeira pode passar por uma baixa, o trabalho torna-se uma válvula de escape ou podemos nos afastar de pessoas muito queridas.

Sua saúde pode ser afetada

Durante as fases de luto, as dores são muitas. Apesar de, na maioria das vezes, termos o corpo intacto, a dor costuma ser tão grande que o nosso estado físico também fica prejudicado. A partir de então, o dia a dia torna-se incoerente: você olha para o mundo externo e tudo segue o seu curso: as pessoas trabalham, o movimento nos mercados, padarias e lojas continuam os mesmos, mas, para você, internamente, tudo isso já não faz tanto sentido.

Se a pessoa, nessa situação, deixa de viver o luto, é provável que muitos desses sentimentos permaneçam e a indiferença em relação à vida cresça. Dessa forma, tanto a saúde mental quanto a saúde física podem ser afetadas, afinal essas duas instâncias estão interligadas. Por isso, é tão importante chegar ao final do luto e aceitar que novas perspectivas serão criadas e a vida retomará o sentido.

As boas memórias podem ser bloqueadas

As boas memórias são fundamentais para que o sentimento de gratidão seja vivenciado. Poucas pessoas sabem, mas esse é um sentimento fundamental para que a vida tenha sentido, seja compreendida com mais serenidade e para que os pequenos detalhes sejam constantemente valorizados.

O psicólogo Robert A Emmons afirma que a gratidão é um dos maiores antídotos para a depressão. Se nós agradecemos diariamente, treinamos nosso cérebro para perceber aprendizados positivos, mesmo nos acontecimentos mais difíceis.

Essa é uma situação que ocorre quando lidamos com as memórias. Após a fase do luto, na verdade, não precisamos evitá-las, mas sim aceitá-las para sermos gratos por termos vivenciado momentos importantes com a pessoa que faleceu. Esse sentimento é transformador e é o luto que nos ensinará a lidar com as memórias da melhor maneira.

Dicas para lidar com alguém que acabou de perder um ente querido

Notou como a fase do luto é importante? É um momento que não pode ser negligenciado. Agora que você já sabe que a tristeza faz parte do processo e que não deve ser evitada, pois é algo natural e necessário, veja abaixo algumas dicas sobre como lidar com alguém que acabou de perder um ente querido.

1. Tome cuidado com os termos

É comum que no dia a dia você utilize involuntariamente o termo “como você está?” ao falar com uma pessoa ou até mesmo um “você vai se recuperar logo” quando se depara com alguém em uma situação difícil.

Porém, para alguém que acabou de perder um ente querido, isso pode soar como descaso e indiferença. Portanto, tente evitar termos clichês. Opte por “sinto muito pela sua perda”, assim você demonstrará empatia e sensibilidade pelo momento. 

2. Não cobre força nesse momento

“Ele não queria te ver desse jeito”, “você deve ser forte”, “a sua família precisa de você, tente ser forte”: essas são as frases mais utilizadas no momento da perda. Porém, por mais que sejam ditas com as mais boas intenções, podem causar ainda mais dor para o enlutado. Cobrar força da pessoa que acabou de perder alguém querido é desrespeitar o momento que deverá ser superado naturalmente

3. Encontre o melhor momento para se aproximar

Antes de abordar a pessoa, verifique se ela está em uma situação adequada e confortável para poder conversar. Pode ser que naquele momento ela esteja muito fragilizada e prefira ficar sozinha. Por isso, não se desespere, faça o possível para que a pessoa se alimente e esteja adequadamente confortável, sem invadir o seu espaço. No momento em que ela estiver pronta e segura para o diálogo, ela o fará.

4. Seja gentil e ofereça ajuda

Normalmente as pessoas que perdem um ente querido ficam tão preocupadas com aquela situação e tomadas pela dor que dificilmente se lembrarão de pedir favores, ainda que sejam extremamente necessários. Em alguns casos, é comum que o enlutado se esqueça dos cuidados básicos, como comer. Portanto, seja proativo de uma forma gentil, ofereça ajuda, fique com as crianças se necessário, prepare uma refeição, ofereça carona a outros parentes. Algumas atitudes demonstram segurança e conforto mais do que qualquer palavra. 

5. Ofereça seus sentimentos

Quando souber do falecimento, tente entrar em contato com o conhecido ou amigo ou se estiver longe, mande uma mensagem até conseguir ir visitá-lo, já que é imprescindível que você esteja ao lado dele. Nesse momento, não é preciso dizer muito, “sinto muito pela sua perda” já é o suficiente. Também comprometa-se a entrar em contato com o seu amigo ou conhecido em outro momento, para que ele se sinta seguro de que você estará por perto caso ele precise. 

6. Optar pelo silêncio pode não ser uma boa opção

Quando se há dúvida sobre o que dizer, muitas pessoas optam pelo silêncio. Em todo caso, nenhuma palavra será realmente o suficiente para amenizar ou impedir que a pessoa passe por essa dor. Todavia, o simples fato de demonstrar empatia e solidariedade, dizendo poucas palavras de conforto, pode acalentar e demonstrar que nesse momento poderão contar com você. 

7. Tenha uma escuta ativa

No fim das contas, estar por perto é o que importa. Pessoas em luto tendem até a se isolar e evitar entrar em contato para dizer como se sentem, mas, em todo caso, elas querem e precisam ser ouvidas. Disponibilize-se para ouvi-las, escute sem julgamentos, elas precisam compartilhar suas lembranças em voz alta com alguém que esteja interessado em ouvi-las. 

Na dúvida, a melhor coisa a se fazer nessas situações é ser compreensivo e empático. Tente agir com solidariedade, coloque-se no lugar da pessoa e faça o que você queria que fizessem caso fosse você nessa situação. Quando se perde alguém, há sempre um processo difícil, mas existem maneiras de lidar e amenizar a dor. 


Você deseja conhecer nossos planos? Preencha o formulário abaixo!