CENTRAL NACIONAL DE VENDAS: 4020-3852 (disque a partir da sua cidade)
CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CONVENIADO: 0800 024 1150

Como lidar com a morte de um ente querido?

Visto quase sempre como uma coisa ruim, o luto é, na verdade, necessário. Respeitar as etapas do luto é algo que todos devemos aprender durante nossas vidas

de Amar Assist , 28 AGOSTO de 2020

Casal de meia idade de mãos dadas
Apesar de sabermos que todos nós vamos morrer um dia, entender como lidar com a morte é sempre um grande desafio. Por mais que esse momento seja natural, quase nunca estamos preparados para a despedida ou prontos para seguirmos em frente sem a pessoa querida ao nosso lado.


Plano Funerário Familiar

Cuide bem de quem você ama.


O primeiro passo, então, para vivenciar esse momento, é saber que todos os sentimentos são normais. Respeitar aquilo que você está sentindo agora — e permitir-se vivenciar isso da sua maneira — é fundamental para que você passe por todas as fases do luto e possa transformar a tristeza em um bom sentimento, com o passar do tempo.

Para ajudar quem está enfrentando esse momento de despedida, criamos este texto com algumas dicas de como reagir diante da perda. Boa leitura!

Entenda as reações que fazem parte do processo de luto

Visto quase sempre como uma coisa ruim, o luto é, na verdade, necessário. Respeitar essa etapa, buscando a compreensão e a capacidade de vivenciá-la e superá-la é, uma atitude fundamental para que possamos continuar vivendo de uma forma saudável e equilibrada.

Cada pessoa encara essa despedida de forma diferente e são várias as reações possíveis, tanto físicas quanto psicológicas: a insônia, a falta de apetite, o choro constante e que chega de maneira repentina, a vontade de se isolar e os sintomas de estresse (como sudorese, fraqueza e palpitação) são alguns exemplos — e não existe um prazo definido para que isso passe.

Busque pessoas com quem você pode contar

O luto é um processo particular e solitário. Isso quer dizer que, apesar de o ente querido deixar toda a família enlutada, é possível que cada pessoa reaja de uma forma, dependendo de sua própria personalidade ou da relação existente com aquele que partiu.

No entanto, conversar com outras pessoas pode ser muito importante para externar aquilo que está sendo sentido. Além disso, essa convivência durante o luto é essencial para que a pessoa não perca a referência de quem ela é, da sua identidade e do seu lugar no mundo.

Isso porque é natural e esperado que o enlutado fique triste, mas é preciso que ele saia desse sentimento, ainda que aos poucos, e perceba que a vida continua e que ainda há muitas pessoas com quem contar.

Saiba que o luto pode ser diferente de acordo com a perda

A maneira de reagir à morte também pode variar de acordo com a forma como ela aconteceu. Se quem se foi era uma pessoa mais idosa ou que já estava bastante adoecida, os familiares e amigos podem ter tido mais tempo de se despedirem e até mesmo de se adaptarem à perda.

Já quando o motivo do falecimento é mais inesperado, como uma morte súbita, um acidente ou assassinato, o choque pode ser maior, assim como o estágio de negação. O sentimento de que aquela pessoa ainda tinha muito o que viver ou de injustiça pode trazer mais raiva, revolta e questionamentos.

O grau de parentesco com a pessoa falecida também pode influenciar no luto. Geralmente, a partida da mãe, do pai, do filho ou de um irmão, com quem temos uma convivência muito próxima por toda a vida, causa uma tristeza que pode demorar anos para ser abrandada.

A verdade é que não existem mortes melhores ou piores, que doem mais ou menos. Esse é um momento de acolhimento e de respeito consigo mesmo e com os outros.

Faça um ritual de despedida

Os rituais de morte são necessários para nos ajudar a elaborar melhor o luto. Por meio deles, podemos nos despedir, mas é verdade que são dolorosos e que esse momento inicial pode ser um tanto quanto perturbado, impedindo uma despedida calma e serena.

Uma boa dica para ser feita depois que o velório e o enterro passarem é escrever uma carta para a pessoa que morreu, dizendo tudo o que você gostaria que ela ouvisse e, enfim, despedir-se com o coração.

Ir a um lugar especial para vocês ou lembrar-se de algo positivo sobre a pessoa também pode ajudar quando a tristeza chegar, assim como fazer uma pausa e agradecer pelo que puderam viver juntos.

Não tenha medo de falar sobre os seus sentimentos

Como dissemos, há pessoas que preferem externar os seus sentimentos durante o luto, enquanto outras preferem se isolar. Essa ações são esperadas e não há um tempo predefinido para que isso passe.

Existe, inclusive, um mito de que as pessoas que não choram ou não expressam as suas emoções de "forma mais exagerada" em um primeiro momento são aquelas que sofrerão muito mais para frente, "quando a ficha cair". Isso não é uma regra. Da mesma maneira que cada um teve um relacionamento com a pessoa que morreu, cada um vai lidar com esse momento de uma forma.

Se você sentir a necessidade de falar ou de chorar, não se intimide! Sempre haverão pessoas prontas para ouvir e acolher! Na verdade, a maioria das pessoas não sabe como agir com uma pessoa enlutada, mas elas querem verdadeiramente ajudar. Procure aquelas em quem você confia, que estejam ou não vivendo o luto junto com você, e se abra. Um abraço amigo pode aliviar muitas angústias.

Procure ajuda profissional

Apesar do apoio de familiares e amigos e também do passar do tempo, algumas pessoas não conseguem superar o luto, o que as impede de voltar a trabalhar ou a realizar tarefas do dia a dia, por exemplo.

Nesse momento, procurar ajuda médica e psicológica é preciso para que o profissional ajude o enlutado a reencontrar o significado da vida — seja por meio de grupos de apoio, uma viagem, uma mudança de casa, uma religião ou boas ações. O objetivo é reconstruir um sentido para viver, transformando a tristeza em uma saudade saudável.

Saber como lidar com a morte é um desafio que varia muito de pessoa para pessoa, e todas as reações são válidas e normais. Entender que a tristeza é normal e que vai passar é fundamental tanto para quem vive o luto como para quem quer ajudar. A vida é mesmo uma passagem e entender como trilhar cada caminho que surge é o nosso maior aprendizado.

Esperamos ter ajudado você! Compartilhe este texto em suas redes sociais para que outras pessoas possam saber como lidar com a morte de um ente querido.


Artigos Relacionados