CENTRAL NACIONAL DE VENDAS: 4020-3852 (disque a partir da sua cidade)
CENTRAL DE ATENDIMENTO AO CONVENIADO: 0800 024 1150

Saiba o que fazer quando um cachorro morre!

O que fazer quando um animal doméstico morre? Nós temos algumas dicas que podem ajudar.

de Amar Assist , 24 ABRIL de 2020

Saiba o que fazer quando seu cachorro morre

Os amantes dos pets não têm dúvidas sobre o quanto eles são capazes de transformar a vida dos seres humanos para melhor. Na maioria das vezes, são anos de convivência, e os bichinhos se tornam parte da família, por isso é tão difícil saber o que fazer quando um animal doméstico morre.

Justamente por causa dos laços criados a partir da amizade e da lealdade, pode ser um grande desafio ter que lidar com a perda dos animais — que se compara, facilmente, com a perda de um ente querido. Afinal, o bichinho estava ali ao seu lado, dia após dia, e é preciso aprender a viver com o vazio.

Mas como fazer? É o que vamos abordar neste conteúdo, na tentativa de ajudar você a vivenciar o luto de forma saudável e natural. Acompanhe!

A presença de um pet na família

Não por acaso, os animais são reconhecidos como grandes amigos do homem: em sua grande maioria, eles são ótimos companheiros, leais e sempre cheios de disposição, prontos para elevar o astral de toda a família.

Além disso, os benefícios de ter a companhia de um pet são comprovados pela ciência, como a proteção contra alergias, a redução da pressão arterial, o aumento da capacidade de socialização e da liberação dos hormônios do bem-estar, a diminuição da solidão, do estresse e da depressão, entre muitos outros.

Vale lembrar aqui que esses animaizinhos não precisam ser apenas cães e gatos: até mesmo os cavalos ou os pássaros podem ter uma relação de convivência com os humanos, tornando-se especiais.

As fases do luto

A morte faz parte, inclusive, da vida dos animais. Há uma frase de conhecimento popular que afirma que os cachorros vivem menos porque já nascem aprendendo a amar de um jeito que levamos a vida inteira para aprender.

Ou seja, no ciclo natural da vida, os nossos pets vão viver menos do que nós, deixando saudades. E já que eles são, muitas vezes, tão especiais quanto os seres humanos, é natural que aceitemos viver as fases do luto de forma saudável. São elas:

        negação e isolamento;

        raiva;

        barganha;

        depressão;

        aceitação.


Plano Funerário Familiar

Cuide bem de quem você ama.


O que fazer quando um animal doméstico morre

Assim como acontece quando um ente querido falece, cada pessoa vai reagir de forma diferente ao perder o seu bichinho. Algumas atitudes podem ajudar a superar esse primeiro momento de maior dor, transformando-o em saudade e agradecimento por aquele ser tão especial ter feito parte da sua vida.

Confira algumas atitudes positivas para você e sua família!

Crie um ritual de despedida

Hoje em dia, já existem muitas empresas e cemitérios destinados aos serviços de funeral e sepultamento de pets. Ainda que você não se interesse por esses serviços, vale a pena fazer o seu próprio ritual de despedida. Pode ser enterrá-lo em um lugar especial, incentivar as crianças a escreverem uma carta de adeus, fazer um passeio que vocês costumavam fazer juntos ou qualquer outra forma carinhosa de dizer tchau que tenha a ver com a convivência da família e o animal.

Não tenha vergonha de expressar seus sentimentos

Quem nunca teve um pet pode até não entender o tamanho da dor dessa perda, mas você não precisa esconder o seu sentimento. Afinal, como dissemos no início deste texto, os animais, hoje em dia, estão tão presentes e ativos no dia a dia da família que se tornam um membro dela — são verdadeiros filhos.

Se precisar conversar, busque alguém que tenha os mesmos sentimentos pelos animais que você, que já passaram pela mesma situação e, assim, não vão julgá-lo e, sim, dar apoio.

Respeite o seu tempo de sofrimento

Só você sabe o que está sentindo, e é preciso respeitar essas emoções e o ciclo de cada sentimento — somente assim o luto vai ser superado naturalmente.

Existem muitas pessoas que pensam que a melhor maneira de enfrentar a perda de um bichinho é adotando outro. Para muitas famílias essa atitude pode, sim, ser benéfica, mas há outras que veem esse gesto como uma substituição e não o aceitam de forma alguma.

Respeite o seu tempo e o tempo da sua família. Para as crianças, esse luto pode ser bastante dolorido, mas funciona como um aprendizado importante para a vida e não pode ser negligenciado.

Doe os acessórios do pet que você não vai precisar mais

Assim como acontece quando perdemos um familiar, doar os pertences de quem se foi pode ser uma boa forma de se despedir também. Além disso, sempre há outros bichinhos abandonados e abrigos de animais precisando daqueles itens.

Por outro lado, se o animal faleceu por causa de uma doença infecciosa, é preciso retirar os objetos dele da casa o mais rápido possível para que não contaminem os outros animais (se houverem) e até mesmo os seres humanos.

Busque atividades para substituir o tempo que você dedicava ao pet

Se você tinha uma rotina com o seu animalzinho, como um passeio no fim da tarde, essa hora do dia pode ser bastante dolorosa. Ou, então, vocês assistiam TV juntos todas as noites?

Ao menos por um período, vale a pena buscar atividades para preencher esses horários, para que você não fique triste demais ao lembrar desses momentos. Não queremos, de forma alguma, incentivá-lo a esquecer o seu animal de estimação ou fingir que ele não se foi. Apenas estamos sugerindo ações que distraiam a sua mente no início desse processo de luto.

O que fazer com o corpo

A grande maioria das pessoas opta por enterrar o corpo do seu bichinho em um local especial, onde elas viveram bons momentos ao lado do seu pet. Espaços abertos bonitos, pés de montanhas ou, até mesmo, sítios da família são boas opções. Só não se esqueça de que existem regras para que o enterro seja seguro para a saúde de todos.

Caso o seu bichinho faleça na clínica veterinária, o profissional pode ajudá-lo com essa questão. Também existem, hoje em dia, cemitérios e crematórios exclusivos para animais de estimação em diversas cidades do país. Vale a pena consultar a disponibilidade e os serviços prestados em um local perto de você.

Por fim, vale lembrar que existem empresas que oferecem planos funerários e vários outros serviços em parcerias com seguradoras: a Assistência Pet traz mais comodidades durante toda a vida do animalzinho, como delivery de ração, vacinação, transporte e hotel; e, na hora da despedida, prestam o serviço de funeral.

Saber o que fazer quando um animal doméstico morre não é uma tarefa fácil, pois cada pessoa tem uma forma de lidar com a perda e cada um tinha uma relação individualizada com o pet. Essencial, apenas, é respeitar os sentimentos, deixando-os livres e viver o luto. Com o passar do tempo, a tristeza será substituída pela saudade e as lembranças dos bons momentos que vocês viveram juntos.

Esperamos ter ajudado você e sua família com este conteúdo. Para conhecer planos de assistências e seguros especializados em saúde e também nos momentos mais difíceis, siga as nossas redes sociais. Estamos no Facebook e no LinkedIn.


Artigos Relacionados