• área do cliente
  • Quer economizar na hora que sua família mais precisa?

    Clique aqui

    Processo de aposentadoria: o que você precisa saber para planejar

    Confiras dicas valiosas de como planejar a aposentadoria

    Processo de aposentadoria: o que você precisa saber para planejar

    O processo de aposentadoria pode ser de difícil compreensão para muitas pessoas, o que prejudica o seu planejamento. Para garantir a segurança financeira ao interromper as atividades remuneradas, é importante saber com se organizar e quais são os passos para se aposentar.

    Conhecer os procedimentos necessários evita a ansiedade e a perda de direitos. Assim, é possível aproveitar o descanso e fazer as atividades que gosta, com a tranquilidade de receber regularmente o benefício em um valor justo.

    Nesse sentido, o melhor caminho é pensar antecipadamente e se planejar, o que permite avaliar com cuidado as opções. Isso pode começar desde a decisão de contribuir com a Previdência, para o melhor ajuste do pagamento. Porém, ao se aproximar da aposentadoria, também é possível buscar informações para seguir os passos de maneira apropriada.

    Você tem dúvidas sobre o processo de aposentadoria? Neste texto você poderá conferir as informações mais importantes que precisam ser conhecidas antes de requerer o benefício. Boa leitura!

    O que é um processo de planejamento de aposentadoria?

    O planejamento de aposentadoria é uma análise do histórico do trabalhador que avalia as melhores possibilidades para ter o benefício. Dessa maneira, ajuda a identificar o tempo restante de contribuição, as interferências no cálculo e, com isso, as aposentadorias disponíveis.

    Nesse sentido, permite avaliar as escolhas mais vantajosas, para que o beneficiário não tenha prejuízos em seus recebimentos, bem como não pague além do que necessita. Conheça alguns pontos que são avaliados no processo.

    Prejuízos por antecipação da solicitação

    Uma das dúvidas frequentes entre as pessoas que querem se aposentar é o momento certo de solicitar o benefício. Isso porque, requerer o pagamento antes de estar apto, normalmente, gera muitas perdas financeiras. O pedido pode levar meses e, caso ainda não se tenha direito, ele será negado.

    Dessa maneira, ocorrem gastos processuais sem o retorno esperado. Em alguns casos pode ser possível pedir a aposentadoria antes de completar o tempo mínimo. Isso é válido para pessoas que exerceram determinadas funções ou por tempo de contribuição. Porém, existe o risco de que o valor da concessão seja menor e a avaliação precisa ser individual.

    Prejuízos por atraso da solicitação

    Muitas pessoas optam por permanecerem trabalhando mesmo após completarem a idade para se aposentar. Isso também significa um prejuízo, pois os valores que seriam recebidos não se acumulam. Nessas situações, é importante que se conheça bem as regras, para que a decisão de continuar as atividades ou não seja feita de maneira consciente.

    Valor correto da contribuição

    Nem sempre é preciso pagar o teto da contribuição. Os erros no cálculo do valor são muito comuns, especialmente para trabalhadores autônomos, que fazem isso por conta própria. Nesse sentido, é fundamental saber que existem diferentes alíquotas e, com o planejamento da aposentadoria, é possível avaliar qual é a mais adequada para cada caso.

    Correção de erros

    Além do pagamento incorreto, que pode acarretar prejuízos significativos ou deixar valores em aberto que impedem a aposentadoria quando solicita, ainda existem outros erros que impactam no benefício. Alguns deles são falhas no código de registro ou na formalização.

    Quanto antes esses problemas forem identificados, menores as chances de ter dificuldades na concessão do pagamento, como atrasos ou diminuição do valor a ser recebido. É importante destacar que os descontos interferem em todas as parcelas a serem pagas pela Previdência, o que representa um prejuízo significativo.

    Relação com outros benefícios

    Pessoas que já recebam outros benefícios federais, como a pensão por morte e o auxílio funeral, precisam avaliar o caso em particular. Em algumas situações é possível acumular recebimentos, mas existem cotas que devem ser atendidas. Por isso, consultar um profissional antes e fazer esse planejamento ajuda a conhecer os seus direitos.

    Melhores alternativas para o benefício

    Com todo o processo de análise, o contribuinte identifica o melhor tipo de aposentadoria possível para o seu caso. Dessa maneira, o planejamento deve ser individual, já que considera todas as variáveis da experiência daquele trabalhador. É uma maneira de usar melhor o seu dinheiro e garantir um amparo quando deixar suas funções.

    Quando começar?

    Não existe uma idade específica para dar início ao processo, é possível fazer isso quando o cidadão desejar. Uma boa alternativa é procurar o planejamento de aposentadoria antes de começar pagar a Previdência, pois isso garante uma contribuição adequada. Porém, é sempre importante considerar que as condições variam bastante, então, mudanças na atividade interferem no cálculo.

    A dica é que a partir dos 35 anos as pessoas já separem os documentos e comecem a se organizar para contribuírem. No entanto, pessoas que já estejam se aproximando da aposentadoria também podem procurar um planejamento para as correções e para se inteirarem das melhores formas de fazerem o requerimento

    O planejamento financeiro é essencial e deve fazer parte da rotina das famílias, o que inclui proteções de diversos tipos, como: plano de saúde, plano funerário, reserva de emergência, preservação dos pertences e também o investimento na aposentadoria.

    Por que é importante?

    O processo de aposentadoria pode parecer complexo por ter muitas regras e exceções. Dessa forma, a organização antecipada, com o auxílio dos profissionais capacitados para isso, é uma alternativa para que o seu direito seja garantido de maneira tranquila, evitando os estresses e os prejuízos. Conheça algumas das vantagens importantes de optar pelo planejamento.

    Reduz a burocracia

    A conquista da aposentadoria envolve também a burocracia, o que faz com que se torne um procedimento difícil. Ao fazer o planejamento antecipado, você consegue passar por todos os passos com mais calma, além de reduzir muito os riscos de erros e perdas financeiras.

    Traz mais conforto

    Quando você reduz os transtornos com os documentos, otimiza o seu tempo e conhece os melhores caminhos para um bom retorno financeira. Assim, terá mais segurança e você não precisará se desgastar tanto com leis e prazos.

    Proporciona organização financeira

    Ao saber com mais clareza o quanto é preciso investir, qual será o valor da aposentadoria e quando você começa a recebê-la, fica mais fácil fazer a organização financeira. Assim, o orçamento familiar permanece no azul e você tem como se planejar.

    Ajuda a tomar decisões conscientes

    Conhecendo mais sobre o procedimento e suas regras, você consegue tomar decisões mais conscientes a respeito do próprio futuro. Nesse sentido, ainda que existam meios mais vantajosos, você pode optar, por exemplo, por uma antecipação do recebimento. A diferença é que essa é uma escolha refletida, que considera as necessidades do contribuinte e suas expectativas.

    Para quem é indicado?

    Todas as pessoas precisam interromper as atividades laborais em algum momento da vida, portanto, o processo de aposentadoria vale para qualquer cidadão. É válido destacar que a contribuição com o INSS pode começar a partir dos 16 anos de idade. Para compreender melhor para quem o planejamento é indicado, é importante conhecer mais sobre o funcionamento desse sistema.

    O funcionamento do sistema previdenciário

    Os brasileiros podem contar com a Previdência Social, mantida pelo governo federal. Ela é administrada pelo INSS e oferece o pagamento das aposentadorias e das licenças. O seu funcionamento pode passar por mudanças, de acordo com as definições do governo.

    Existe também a Previdência Privada, que é complementar e mantida pela iniciativa privada. Nela, qualquer pessoa pode contatar uma seguradora e fazer um plano individual, com o pagamento de mensalidades que poderão ser recolhidas quando o contratante desejar.

    A quantia a ser paga e o valor recebido a título de aposentadorias são definidos previamente. É possível interromper o plano e sacar o dinheiro antes de completar o tempo mínimo.

    É fundamental observar os planos e as taxas para analisar qual a melhor alternativa para o seu caso. Por esse motivo é tão importante contar com um profissional que conheça bem todas as regras para auxiliar com a decisão. Vale destacar que a Previdência Privada não exclui a participação na Previdência Social, ou seja, é possível manter as duas.

    A idade adequada para se aposentar

    Antes da reforma da Previdência, o cálculo do valor da aposentadoria era feito a partir da fórmula do fator previdenciário, que avaliava o tempo de contribuição. Atualmente, o critério analisado é a idade mínima, que é de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens.

    Com a reforma, também são exigidos 15 anos de contribuição ou 20 anos para aqueles que começaram a trabalhar após a mudança.

    Qual o passo a passo ideal?

    Se você deseja fazer um planejamento da aposentadoria, pode seguir alguns passos para garantir que tudo saia da melhor forma. Confira algumas dicas importantes.

    Avalie as suas pretensões

    O primeiro ponto a ser considerado é o que se espera para o futuro. Decida se o seu objetivo é conquistar o maior valor possível para a aposentadoria ou fazer um investimento mais baixo, que não pese no orçamento familiar. Essa decisão é muito importante para avaliar os melhores caminhos a seguir e garantir que você envelheça bem.

    Reúna os documentos

    Definidos os objetivos, é hora de colocar a mão na massa e reunir os documentos. Com isso, você poderá analisar todo o seu histórico de contribuições, as experiências trabalhistas que podem interferir, as pausas que aconteceram ao longo da vida laboral, entre outros. Esse é o momento de observar toda a sua trajetória de atividades remuneradas.

    Analise os dados

    Com todos os documentos e cálculos feitos, é preciso analisar quais são os fatores que interferem na aposentadoria. É um processo que deve ser realizado com cuidado e atenção, para garantir que apresente resultados corretos.

    Faça projeções do cenário

    Se ainda faltar algum tempo para a sua aposentadoria, é preciso fazer projeções do cenário e observar quais são as alternativas mais vantajosas. Considere que em questões financeiras algumas incertezas podem surgir, porém, avaliar as possibilidades é importante.

    Procure um profissional

    Buscar o auxílio profissional não é obrigatório, porém, é muito recomendado. Para isso, você pode contar com um contador ou advogado, de preferência que seja especializado em direitos trabalhistas. Assim, terá orientações detalhadas e bastante objetivas para encontrar os melhores caminhos.

    Quais erros devem ser evitados?

    Na hora de fazer os cálculos, as projeções são essenciais. Isso inclui muitas análises sobre a situação financeira da família, os planos de longo prazo e as perspectivas para o futuro. Assim, alguns erros são frequentes e podem acarretar prejuízos. Conheça os mais comuns.

    Não analisar a disponibilidade financeira para investir

    A contribuição precisa caber no orçamento familiar para que não comprometa outras despesas essenciais. Esse controle deve ser bastante cuidadoso, para evitar transtornos. Considere que a aposentadoria é um compromisso financeiro importante, que pode garantir tranquilidade no futuro, portanto, é fundamental que seja incluída nas despesas básicas.

    Não calcular o valor necessário para a maturidade

    Nem sempre a aposentadoria tem o mesmo valor que o salário e muitas pessoas desconsideram esse aspecto. Ao fazer a análise, é necessário observar o estilo de vida que se leva e qual o valor para mantê-lo.

    Nesse caso, é preciso encontrar um equilíbrio. A expectativa de uma aposentadoria muito alta pode parecer inalcançável, afinal, existem as normas a serem atendidas. Por outro lado, um cálculo baixo tem o risco de proporcionar um benefício menor do que o necessário para se manter, o que também causa transtornos.

    Desconsiderar a inflação e mudanças na lei

    Como vimos, ao fazer um planejamento desse tipo você tem apenas projeções que reduzem bastante os riscos, mas que não trazem certezas. É preciso considerar que o valor do real muda e que isso tem um impacto não só no salário, mas também nas despesas. Além disso, mudanças na legislação podem ocorrer. Assim, se preparar para flutuações e imprevistos é fundamental.

    Ignorar os investimentos complementares

    A Previdência Social é um caminho seguro para ter o amparo financeiro quando interromper o trabalho. Porém, esse não precisa ser a sua única fonte de receita. Com um bom planejamento financeiro, é possível contar com investimentos complementares que ajudam você a chegar mais perto da renda pretendida para a maturidade.

    Portanto, conhecer o processo de aposentadoria e fazer um planejamento cuidadoso são formas de garantir a segurança financeira ao interromper as atividades remuneradas. É muito recomendado procurar um profissional para tirar as dúvidas e encontrar os melhores caminhos na aquisição do benefício.

    Você já planeja a sua aposentadoria? Deixe nos comentários a sua experiência com o sistema previdenciário.


    Plano Funerário Familiar

    Garanta um futuro tranquilo para sua familia com o melhor plano funarário do Brasil, Completo, Sem custos adicionais.

    Ao clicar em “Quero mais informações”, você confirma que seus dados estão corretos e concorda com a Política de Privacidade.
    Saiba mais sobre o Seguro de Vida Gratuito